12/07/2014

Desapega, desapega! OLX!

 

Hoje foi dia de mudança. Depois de quase dois anos morando sozinho, retornei pra minha casa antiga, que hoje é a casa da minha irmã. E tenho duas coisas importantes pra falar. A primeira é que mudança não é coisa de Deus, a gente pensa que não temos quase nada em casa, mas é só quando vamos nos mudar que a gente vê que realmente a gente não tem nada de importante, mas em consideração o tanto de TRANQUEIRA que a gente guarda, não tem cabimento! Eu sempre fui de implicar com a minha mãe [e já cheguei até a pensar que ela sofresse aqueles transtornos de pessoas compulsivas que não conseguem se desfazer dos seus bens], mas hoje eu não cuspi pra cima, eu caguei pra cima e caiu tudo na cara. No quesito entulheiro, puxei pra ela! Na primeira foto, encontrei uma caixa vermelha que eu guardava com o maior amor do mundo uma pancada de crachás dos eventos que eu ia e gostava. Era tipo uma coleção, que não tem o menor sentido [e pra me orgulhar um pouquinho, bem no centro da imagem, tem um crachá com uma faixa verde e amarelo escrito IMPRENSA, que foi quando o Lula veio pra Alta Floresta em 2009 e eu fiquei pertinho dele, junto com a imprensa credenciada. Fotos, vídeos e post, clique aqui]. Me desfiz de tudo que eu pude, desde lembrancinhas, crachás, agendas velhas, decoração de 1,99, e muambas em geral. Outra coisa que eu reparei que sou estilo 'Acumuladores, do Discovery Channel' é com copos. Tenho uma renca de copos espalhados pelas minhas coisas, e sempre copos de festas, sejam de baladas, carnaval ou casamentos. E fora os copos ganhados e comprados. Durante o encaixotamento das coisas, minha mãe encontrou copo guardado dentro do meu armário da cozinha, no guarda roupas e até de baixo da minha cama! Só Jesus na causa, viu!

E juro que apesar de ter um sentimento enorme pelas minhas coisas que eu guardava com tanto carinho, não foi tão difícil assim. É só não pensar muito, abrir o saco de lixo, jogar dentro e procurar mais coisas pra se desfazer. A mudança começou de manhã bem cedinho, e terminamos agora, por volta das 8 da noite, com a minha mãe morrendo de tirar sarro que eu critico tanto ela, mas sou igualzinho. Acho que isso vem de sangue. Porque tipo, quem olhava minha mudança [foram duas viagens com a caminhonete lotada de coisa], não imaginava que aquilo tudo era da casa de uma pessoa que morava sozinha [no caso, eu].

Mas o que importa é que agora estou 'mudado' de volta pra casa da minha irmã, pronto pra me desfazer da minha mudança, e já com meus dias contados por aqui. E essa é a segunda coisa importante que eu tinha pra dizer.. É que já tenho data marcada pra ir embora de Alta Floresta por definitivo. No próximo mês, após a festa de formatura da Bruna Sakamoto [que tirou 10 no TCC, e hoje é aniversário dela! Parabéns em dobro, Saka!], me mudo pra Cuiabá pra começar o curso que sonho há 22 anos: Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, pela UFMT. Pretendo levar o mínimo de coisas daqui, e quando chegar em Cuiabá, vai ser outra correria com a minha mãe, pra arranjar uma kitnet colada na UFMT, comprar o BÁSICO [sem entulho] da mobília e me adaptar a uma nova vida, morando longe de uma mãe-coruja-super-protetora. Foi até engraçado hoje, meu irmão perguntando pra minha mãe como nós íamos fazer pra levar minha moto, e ela toda desesperada falando que a moto ficaria aqui com ela, porque 'Deus me livre o Marcos andar sozinho de moto em Cuiabá. Ele não sabe nem andar a pé. (apontou pra mim) E você toma cuidado, porque até a pé lá é perigoso, tem bandido e um monte de gente que você não conhece (e começou um sermão de mãe)'.

Bem, de resto era isso. Agora vou hibernar, porque madruguei hoje mexendo com a mudança e não parei de andar por 1 minuto até agora. Minhas pernas e principalmente meus pés, estão esfolados. Estou sentindo a mesma sensação que tive quando pulei carnaval em Sinop esse ano, que decidimos não ir em uma noite porque simplesmente a gente não conseguia andar sem que as batatas da perna doessem! Hahaha

Beijão do Marcos, e até amanhã!

Nenhum comentário: