20/03/2014

O carnaval


Merifolia 2014 - meu melhor carnaval até hoje!

Tudo começou com a minha viagem pra Cuiabá (onde eu tive que ir lá pra fazer uns treco pra ingressar na UFMT), onde eu viajei na quinta-feira. Na sexta, saí de Cuiabá e fui pra Sinop justamente pra passar o carnaval por lá. Nessa sexta-feira, tudo que aconteceu de errado, aconteceu. Senta aí porque antes de falar do carnaval vou contar como foi a minha manhã de sexta.

Tinha um ônibus que saía às 8h de Cuiabá com destino a Sinop. Eu ia pegar esse ônibus, porque ele chegaria por volta das 17h em Sinop, ou seja, eu teria tempo de dar uma descansada antes de pular carnaval a noite né. Acordei 7h, e fui tomar um banho antes de tomar café. E o hotel era uma delícia.. O chuveiro estava pelando de quente, e acabei quase dormindo de baixo do chuveiro... Arrumei minha mochila correndo e de qualquer jeito, e desci pra tomar o café da manhã (isso já era 7:40). No hotel, juro que eu nunca tinha visto tanta variedade pra um café da manhã. Tinha bolinho de tudo que era jeito, formato e sabores. E tudo com uma cara deliciosa. Não tive nem tempo pra namorar as comidas, e fui pegando qualquer coisa, colocando no meu prato e nem mastigava pra engolir direito. Me arrependi até o último fio de cabelo por não ter ido mais cedo pra tomar café com calma. Enfim, paguei o check-out do hotel e entrei no táxi. A partir daí começou a zoação. Dentro do táxi mesmo, perguntei quanto tempo nós iríamos gastar até a rodoviária, e o senhor com um sotaque de cuiabano me disse que, se não tivesse acidente que parasse o trânsito, gastaríamos no mínimo 20 minutos (e isso já era umas 7:50, ou seja, perderia o ônibus). Falei pra ele acelerar porque eu estava com pressa, e cheguei a comentar que no dia anterior vi uma mulher com o carro parado numa avenida super movimentada e que a fila de carros xingando ela era infinita. Ele riu. Durante o caminho, aquela muvuca louca de carro, e eu conversando com o taxista, falando sobre as obras pra Copa e blablabla, até que o táxi afogou e não queria mais ligar. Já entrei em pânico, tentando disfarçar minha agonia (apesar de estar com os olhos esbugalhados). Ele conseguiu ligar o carro de novo, eu me acalmei. Até que o carro morreu de vez bem no meio de um cruzamento. O sinal havia abrido, e quando olhei pro meu lado direito AI MEU DEUS QUE DESESPERO, tinha um ônibus vindo em minha direção. Pensei MORRI ADEUS, mas o carro voltou a funcionar de novo e ele estacionou no acostamento e meio que sem graça pediu pra eu pegar outro táxi. ~ Para tudo!! Imagina eu, caipira de tudo, no meio de um vuco vuco de carro com minha mochila lotada de roupa tudo de qualquer jeito, jogado num acostamento, com vontade de chorar e com pressa pra pegar um ônibus que já estava quase partindo! ~ Mais a frente, encontrei um taxista, expliquei pra ele a situação que eu acabara de passar, e rindo fomos pra rodoviária. Aí olhei no relógio do celular e já eram 8h. Falei, pro taxista esquecer a rodoviária e me levar numa farmácia pra comprar um clareamento que minha irmã havia pedido. Essa maldita farmácia era no sentido totalmente contrário ao da rodoviária, mas já que eu estava fudido mesmo, nem liguei e falei pra ele ir na tal farmácia. Chegamos lá, e o maldito clareamento só poderia ser vendido com receita. Engoli o choro, levantei a cabeça e voltei pro táxi. Um milhão de desvios da obra da Copa depois, estávamos chegando na rodoviária quando um motoqueiro quase se enfiou na frente do táxi, e o taxista era bem loucão e deu uma buzina bruta pro cara. NESSA HORA EU SÓ NÃO CAGUEI PORQUE NÃO TINHA BOSTA PRONTA, porque o motoqueiro olhou com cara feia pra trás, colocou a mão nas costas COMO SE FOSSE TIRAR UMA ARMA. MEU PAI ETERNO QUE MEDO!! QUASE ME ABAIXEI NO CHÃO DO CARRO, e sempre fingindo que era tudo normal e que eu nem estava ligando.. MAS EU TAVA MORRENDO POR DENTRO!!! Finalmente cheguei na rodoviária, e o ônibus ÓBVIO que já tinha partido. O próximo buzão sairia dentro de uma hora e meia. Comprei a tal passagem e fui pra salinha da empresa que eu havia comprado a passagem, que tinha ar condicionado e tomada pra carregar meu maldito celular. A hora passou voando. Mas não acaba por aí! O buzão chegou atrasado. Quando fui pegar minha poltrona, já tinha gente, e pra melhorar mais ainda, era uma mulher acompanhada com criança. DESEJEI MORRER NAQUELA HORA. Respirei fundo e perguntei pra moça que estava no meu lugar se aquela poltrona era dela. Aí ela sentou na poltrona do lado e colocou o filho dela no colo. Pra calar a minha boca, aquele menino era um amor de criança e nem falava nada... Começamos a viagem! Logo em seguida o ônibus iria parar na rodoviária de Várzea Grande, que é pertinho de Cuiabá. Nisso, puxei assunto com a mulher e falei pra ela que iria ceder meu lugar à ela caso tivessem poltronas livres após passarmos por Várzea Grande né. Quando chegamos em Várzea, entrou aqueles vendedores ambulantes dentro do ônibus, e minha primeira reação foi virar a cabeça pro lado com meus óculos escuros e fone de ouvido, e fingi que estava dormindo. A mulher do meu lado esperou o tiozinho ir no fundo do ônibus pra decidir que queria comprar aqueles "melzinho" que o cara tava vendendo. Aí o tio apareceu na minha frente pra vender o melzinho, mas a mulher só tinha cinquenta reais. E o vendedor não tinha troco. Vendo esse rolo todo, abri minha carteira e peguei as moedas que tinham lá (acho que R$1,50), e comprei o melzinho pro filho da moça. O ônibus já tinha saído da rodoviária de Várzea, quando fui puxar pra desgrudar um pacotinho do outro. E simplesmente estourou e voou mel pra tudo que era lado naquele ônibus, principalmente na minha camiseta. Respirei fundo, olhei pra cima e falei "Deus, para de me testar". A mulher, muito gentil, deu a fralda da criança dela pra eu me limpar. Aí beleza, quase tudo resolvido.. Olhei pro lado e tinha uma poltrona vazia, sentei em outro lugar pra dar meu lugar à mulher com a criança. Viagem tranquila, exceto pelo excesso de buracos infernais na estrada (que estrada? porque aquilo lá não pode ser chamado de estrada, gente!!). Voltaremos agora à história do carnaval em Sinop..

Aí cheguei em Sinop super tarde e bem atrasado. Na rodoviária estava a Rafah e a Sakamoto já com o abadá do bloco que nós iríamos. Só cheguei na casa da Rafah, comi um pão com mortadela, tomei um banho e estava pronto! Apesar do cansaço das aventuras todas que eu havia passado, e também pela demora infinita da viagem, arranjei disposição do além pra ir pro Carnaval! E QUE CARNAVAAAAL MEU DEUS DO CÉU!!! Foi mais uma academia do que carnaval. Porque todas as noites que fomos, ficamos na frente do palco, pulando mais que canguru. Principalmente na noite de sábado, que pulamos tanto, mais taaaaaanto que no domingo a gente não conseguia colocar o pé no chão, de tanto que doía a batata da perna! Sei que até hoje foi o melhor carnaval da minha vida, com as melhores bandas, melhores djs e melhores companhias! Conheci uma porrada de gente que eu só conhecia por internet lá.. Foi inesquecível! Tão inesquecível, que na noite de segunda-feira, eu bebi todas que fui parar no mundo de Nárnia no final da festa porque não lembrava de nada. (Detalhe que coloquei a Sakamoto no meu ombro enquanto um dj internacional tocava, e comecei a pular com ela feito louco! Tanto é que no outro dia, minha coluna parecia um S. Que dorrrrr, senhorrrr!!!). Enfim, só sei que quando acordei a Rafah ficou jogando na minha cara que no caminho de volta do carnaval, enquanto ela e a Sakamoto tomavam café na padaria, eu estava morto no banco de trás do carro, e ressuscitei apertando a buzina do carro igual doido desesperado e cheguei a arrancar o espelho do carro dela! KKKKKKKKKKKKKK Juro que não sei como e nem porquê! O bom da cerveja, é que não fico de ressaca no outro dia. Porém, fico com um piriri danado, que se não fechar a janela do banheiro é capaz de entrar até urubu! hahahahah É sério.

Bem, tenho um zilhão de fotos e vídeos desse carnaval, que COM TODA A CERTEZA DO UNIVERSO quero repetir a dose no próximo ano. A musiquinha do bloco até hoje não sai da cabeça "ôÔôÔô Merifolia chegoÔôÔô...!" Carnaval foi perfeito. Sinop é perfeita. Fim. ♥



Nenhum comentário: