11/12/2013

Puts! Caiu no Whatsapp



Estou engasgado com um assunto que mais uma vez volta a ser o auge do whatsapp: foto (ou vídeo, que seja!) de gente pelada. E de ontem pra hoje foram 3 casos (que eu recebi até agora, pelo menos) que aconteceram na minha cidade e que não se fala de outra coisa a não ser isso. É fácil pra gente que assiste tudo isso como espectador falar sobre o caso, e depois de bastante pensar e até discutir com alguns amigos, cheguei a algumas conclusões.

A primeira coisa automática a se fazer em quase 100% dos casos, é julgar quem tirou as fotos, como se fosse algo abominante e sobrenatural (o que não é!). Não é nada difícil de se conseguir uma foto íntima de algum desconhecido (até mesmo conhecidos!), tanto é que existem aplicativos pra facilitar esse trabalho. Eu mesmo, em cerca de 15 minutos de conversa num desses aplicativos, já recebi fotos íntimas de gente que nem conheço. Mas enfim, não sou nenhum moralista, e muito menos sou exemplo de um santo de pessoa na Terra, mas sejamos sensatos de que fazer alvoroço por causa de uma foto íntima é tão inteligente e maduro quanto uma pessoa criticar o Big Brother.

Não conheço as meninas que tiveram suas fotos espalhadas no whatsapp, também não sei (e nem me interessa) a intenção das fotos tiradas. Julgar terceiros não nos faz melhores do que ninguém! Ao invés de sair criticando gente desconhecida, deveríamos é nos colocar no lugar delas e refletir sobre a confiança que damos a pessoas que nos rodeiam. E no caso de Alta Floresta, que tem 50 mil habitantes, esse tipo de coisa  faz as meninas virarem uma espécie de "celebridade", porque o número de vezes que eu recebi essas fotos no meu celular é igual ao número de vezes que o perfil do Facebook das meninas foram procurados. E essa babaquice vira uma "tsunami" de pensamentos e sensações nas vítimas (digo "vítimas" porque na maioria das vezes, essas fotos são espalhadas por outras pessoas, consideradas até então "de confiança"), que se a vítima tiver uma cabeça fraca... psicológico abalado... ou não ter uma base familiar, é apenas um motivo a mais pra ficar morrendo de vergonha pelos cantos de cabisbaixa e ter medo de "viver livre" de novo. Lembre-se sempre de que situações como essa são apenas exemplos de aprendizado, de que não devemos confiar em ninguém. Confie, mas com um pé atrás!

Fico pensando que quanto mais atenção se  dá a esses casos, pior é! Um exemplo disso foi o caso que aconteceu esse ano, em Cuiabá, com um DJ famoso que teve suas fotos divulgadas. E o que você acha que ele fez? Simples, não deu moral. Viajou pro Rio de Janeiro até a poeira baixar e deixar de ser um assunto de rede social. Questão de uma semana depois ninguém nem lembrava mais dessas fotos. E da mesma proporção que essas fotos são espalhadas, elas também caem no esquecimento da turma, principalmente no whatsapp, onde qualquer tipo de imagem ou vídeo imbecil (seja de humor, sexo, montagens, piadas, etc) é enviada nos grupos, na velocidade da luz, 24 horas por dia.

E para as pessoas que estão nessa situação chata de terem fotos íntimas divulgadas, leiam uma carta de apoio divulgada há alguns meses atrás pelo blog Na Pimentaria, sobre o caso que teve repercussão nacional, o caso Fran.
“Fran, 
Meu celular acabou de apitar avisando uma mensagem nova no Whatsapp. Era um vídeo de 13 segundos em que você aparece fazendo um boquete e perguntando ao câmera: “quer meu c*zinho apertadinho?” – fazendo um sinal de OK. Eu deveria ter achado graça, caído na gargalhada e compartilhado com outros contatos. Porque, afinal, é só mais uma “vagabunda que se deixou filmar” e cujas imagens acabaram vazando para milhares (milhões?) de desconhecidos. Como se nenhuma moça “direita” pudesse chupar um pau ou ficar de quatro. Como se ninguém falasse baixarias a dois. Como se fosse absurdo realizar a fantasia de ser filmada enquanto transa. 
Eu não te conheço, mas descobri que você é uma universitária de 19 anos e mora em Goiânia. Não sei quem era o cara do vídeo nem a relação que você tinha com ele. Se era amante, namorado, marido, affair de uma noite. Se você foi “ingênua” ou “safada”, se tem uma índole boa ou ruim. Simplesmente não interessa. Nada disso justifica o massacre contra você e sua família. Qual o tamanho da sua dor agora? Soube que você não está frequentando as aulas e foi afastada da loja de roupas em que trabalhava por causa do assédio. A delegada que cuida do seu caso disse que você disfarçou a aparência para não ser reconhecida, que está abatida de tão triste. 
Lamento muito por todos os comentários grotescos e ofensivos que têm circulado na internet. Eles foram feitos pelas mesmas pessoas que acreditam que, se estava de saia curta na rua, pediu para ser estuprada. Tipo: não queria ser exposta, então não deveria ter se deixado filmar. É uma lógica machista que inverte os valores. Você é puta – e não o cara, um mau-caráter. Querida, nossa sociedade está mergulhada nos próprios pudores. Não há nada de errado no que você fez. A cretinice da história toda pertence somente àquele(a) que primeiro repassou o vídeo de um celular privado para uma rede infinitamente invisível. 
Espero que você tenha visto a página Apoio à Fran, já com quase 2 mil apoiadores no Facebook: “ela é a vítima”. Sabe, em 2006, uma jornalista que eu venero contou uma história parecida com a sua. Fotos de uma garota de 20 anos transando com dois caras foram parar no Orkut. Ela e a família precisaram mudar de cidade para recomeçar a vida publicamente destroçada. Eu desejo que você consiga se perdoar. Posso imaginar a culpa e a vergonha que você está sentindo. E torço para que os leitores dessa carta sejam mais humanos e menos hipócritas do que eu tenho visto por aí. A foto desse post é o abraço que eu gostaria de te dar. 
Nathalia Ziemkiewicz, jornalista e autora do site Pimentaria”.


Essa carta serve de apoio a vocês também. Caiu na net? Não dá nada! Força na peruca, porque sua vida continua! E mais uma vez, lembre-se que isso é apenas um motivo pra abrir os olhos com as pessoas que você dá confiança demais. Confie só nos seus pais, que são eles que estarão ou pelo menos deveriam estar ao seu lado quando você precisar!

#ProntoDesabafei

Nenhum comentário: