02/10/2013

Doação de Sangue



Há algumas semanas, venho lembrando de separar um tempo para ir fazer a doação de sangue, e hoje dediquei minha manhã para fazer isso. O mais interessante é que essa doação me salvou de uma multa de trânsito. Como assim, me salvou de uma multa de trânsito? Vou contar aqui.

Quando saí de casa pra ir no hemocentro, tomei café, peguei o iphone e parti. Na esquina de casa, me lembrei que eu havia esquecido a carteirinha de doador em casa. Voltei pra casa, peguei a maldita carteirinha e quando eu estava saindo de casa, vi que meu celular estava sem bateria. Voltei de novo, peguei o carregador, coloquei numa mochila e parti pro hemocentro.

Durante o caminho de casa até o hemocentro, pela avenida principal, eu estava com a minha cabeça em outro planeta.. Pensando em formatura.. em coisas que eu deveria fazer hoje.. pensando em tudo, menos prestando atenção no trânsito. Aí do nada dei de cara com uma blitz dos guardas de trânsito, que tinha uns trocentos cones no meio da avenida. Não consegui pensar em nada a não ser diminuir a velocidade. E foi aí que um dos guardinhas pediu para que eu encostasse, e pediu o documento da moto e minha CNH, onde a esta altura eu já estava me tremendo, com a mão gelada e preocupado de os documentos não estarem na bolsa (apesar de eles SEMPRE estarem na mochila. Mas é que nessas horas a gente se sente um bandido né). Então o guardinha checou os documentos e estava tudo certo.. tudo em dia.. Eu sabia disso, mas eu nunca havia sido parado numa blitz antes kkkkkkkkkkkkkkk. E o mais legal é que ele ainda me deu parabéns por estar com a viseira fechada! Só faltou eu sair empinando a moto (#sqnunca).

Cheguei no banco de sangue, e a equipe de hoje era toda diferente da que eu estava acostumado a encontrar lá. Peguei meu exame da última vez que eu havia doado (continuo lindo e saudável), atualizei os dados que eles tinham de mim, respondi aquele monte de pergunta constrangedora, e fui pra cadeira de doação, onde encontrei 1 rapaz que contou a história do motivo que ele começou a doar sangue. Resumindo: ele estava trabalhando, um cano bateu no olho dele, cortou entre a testa e o nariz, jorrou sangue, e quando ele tava indo embora do hospital decidiu doar kkkkkkkkkkkkkk. Conversei também com a enfermeira que estuprou minha veia do braço direito, a respeito do número de bolsas de sangue que eles arrecadam por mês.. No último mês, arrecadaram mais de 200 bolsas, porque foi feita uma campanha com o Tiro de Guerra das cidades vizinhas, mas nos outros meses, esse número cai pela metade (ou menos ainda). E de todas as cidades próximas, é só de Alta Floresta que saem as bolsas de sangue que as pessoas precisam, ou seja, não dá pra quem quer! Descobri que se uma bolsa de sangue não for refrigerada a tempo, em 4 horas ela tem que ser descartada. Se bem conservada (2° a 5°C) pode durar até 35 dias, mas que nunca uma bolsa dura todo esse tempo, porque ela é logo usada. E a maioria dos casos para a transfusão de sangue, são de acidentes de moto.

Se você nunca doou, faça uma visita ao banco de sangue. Converse com as enfermeiras (que foram muito educadas e prestativas, diga-se de passagem) e tente entender que não é brincadeira o que elas fazem. A gente não doa só sangue, a gente doa vida!

Imagine o sangue como um órgão a ser doado, e imagine também a fila de pessoas que ficam esperando um transplante. Só que no caso do sangue, é sempre emergencial. Se uma pessoa chega com hemorragia num hospital e não há sangue para a transfusão, os médicos não conseguem substituir o sangue por água! A coisa é séria. Faça sua parte e torça para que você nunca precise "ficar na fila" esperando por sangue.

Nenhum comentário: