16/02/2011

FILA DOS CORREIOS


Hoje, após almoçar, fui nos correios ver se tinha alguma coisa na caixa postal. E tinha: uma encomenda pra ser retirada. Então busquei minha senha e fiquei aguardando sentado nas cadeiras de espera.

Minha senha era a 250 e tinham mais ou menos umas 10 pessoas na minha frente, sendo que só tinham 2 guichês funcionando, ou seja, provavelmente iria demorar. De repente, olhei pra cadeira do lado e tinha uma senha, de número 242. A mulher do guichê chamou a senha 240. Olhei de novo pra senha 242 e comecei ficar desesperado. O guichê do lado da mulher chamou a senha 241. Olhei para os dois lados e minha mão quis escorregar na cadeira do lado e pegar a senha 242, que seria a próxima.

Pensei duas coisas:
1. Se eu roubasse a senha, quando me chamassem o dono da senha 242 (que poderia ser qualquer pessoa que tivesse acabado de levantar e a senha teria caído na cadeira) iria gritar igual a Vera Verão "EEEEPA" e eu morreria de vergonha e seria chamado de ladrãozinho.

2. Se eu não roubasse a senha, teria que esperar a senha 242, 243, 244, 245, 246, 247, 248 e 249 até então chamarem a minha. E eu não estava com tanta paciência assim, sem contar que uma coisa dessas não acontece todos os dias.

Então minha mão escorregou sem querer na cadeira do lado e eu roubei a senha 242. Tenho certeza absoluta que uma mulher que estava do outro lado viu eu fazendo isso, mas ficou quieta GRAÇAS A DEUS, porque é ÓBVIO que a pessoa que chega por último nos correios é a última a ser chamada pela sequência de senhas. Coloquei a senha 242 em cima da 250 e começou me dar um frio na barriga, de tanto medo de passar vergonha nos Correios.

Já tinha até preparado meu texto, caso o dono da senha aparecesse de última hora, e então fiquei aguardando o guichê chamar a senha 242, que nessa altura o papelzinho já estava quase derretido de tanto suor que saía da minha mão. E finalmente, a pessoa que estava no guichê, começou a arrumar sua carteira pra ir embora, enquanto eu já estava de pé, 
pra evitar que ela falasse alto "SENHA 242". Não adiantou, a moça disse "242" e eu fui correndo na direção do guichê e retirei a encomenda.

Graças a Deus não aconteceu bafão nem nada e fui embora correndo, porque todo mundo que estava lá sabia que eu havia chegado por último e fui atendido na frente deles! UAHEIUAHEIUHAEIAEUHAIUEH

Tudo isso aconteceu porque uma amiga minha, numa conversa por esses dias, comentou comigo que, quando ela vai no banco e chamam uma senha e ninguém aparece, ela levanta e vai até o caixa, e nunca aconteceu nada de barraco com ela. JURO QUE EU MORRO DE VONTADE DE FAZER ISSO MAS NUNCA TIVE CORAGEM. Hoje foi só um aperitivo pra eu tomar coragem de começar a cortar fila nos bancos! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk #souesperto.

Um comentário:

Karla Hack dos Santos disse...

Já fiquei com esta vontade!
Mas nunca tive a coragem...
Ainda bem que ninguém reclamou ou o dono apareceu como mágica para exigir a senha!
hehehehe