31/07/2009

Corujas que deram o que falar!

essas lindas corujinhas estão famosas e nem sabem!
abaixo, matéria divulgada no site
http://www.jovemnews.com, por Janival Oliveira.

DOUGLAS O PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE ALTA FLORESTA PODE SER PALCO DE UMA TRAGÉDIA

Douglas DC-3, aeronave que pertence ao patrimônio histórico de Alta Floresta, foi colocada, na praça da Cultura, no centro de Alta Floresta.De acordo com a comissão, a aeronave foi toda pintada, recebeu vidros nas mais de 27 janelas, foi reformado cabine de comando e instalação de alguns equipamentos. O assoalho foi todo refeito e colocado poltronas.Para a reforma foram utilizados recursos oriundos do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), feito pelo Ministério Público (Promotoria de Alta Floresta), através de multas aplicadas em questões ambientais.A proposta é que seja instalada, dentro da aeronave, uma sala de instrução histórica, com fotos e textos expostos para que a comunidade alta-florestense, sobretudo a comunidade escolar, possa conhecer a história do município.Segundo a prefeita Maria Izaura, essa aeronave é parte da história de Alta Floresta e precisa ser resgatado e preservado e a sociedade tem que ter acesso a este patrimônio.

Hoje é um dos ponto turístico do município que, mas recebe visitas tanto de visitante quanto de moradores, crianças, jovens e a dutos. O que a maioria não sabem é uma simples visita pode si tornar uma tragédia, a nossa equipe esteve no local e viu que tem um ninho de coruja buraqueira. A mais conhecida das corujas, por ser visível durante o dia e ficar pousada, ereta, em locais expostos ou no solo. Como indica o seu nome comum, faz seus ninhos no solo, seja em buracos abertos por ela mesma, seja abandonados, readaptados pelas corujas. As covas possuem, em torno de 1,5 a 3 m de profundidade e 30 a 90 cm de largura. Ao redor acumula estrume e se alimenta dos insetos atraídos pelo cheiro. A qualquer sinal de perigo emitem um som alto, forte e estridente. Esse alarme é dado durante o dia, chamando a atenção para a coruja. Os filhotes, ao escutarem o alerta, entram no ninho, enquanto os adultos voam para pousos expostos e atacam decididamente qualquer fonte de perigo para os filhos. Podem defender o ninho, voando em direção a um predador potencial, inclusive pessoas, espantando invasores como cachorros e gatos. Este ataque pode ate ser fatal a nossa equipe foi atacada em quanto tirava foto, graças a DEUS nada alem do susto, esta na hora Janival oliveira do jovem news, o Oliveira Dias do clique noticias e nosso amigo Bola da tv nativa. Em outra oportunidade a equipe do www.jovemnews.com viu a coruja atacando um cachorro que sofreu muito com o ataque das Buraqueira.

agora, em resposta a esta matéria, veja o que meu patrão - Agostinho Bizinoto - escreveu:


DIGNO DE MÉRITOS, MAS PODE MELHORAR


Sou um admirador por excelência de todas as formas de opiniões e de visão de mundo advindas da juventude, principalmente quando o que ela observa na realidade em que vive, é externado e materializado através da escrita. Indubitavelmente, é um exercício de cidadania bastante louvável, em patamares altaneiros e uma contribuição incontestável no registro da historicidade de um povo.

Pra mim, o Jornal Força Jovem e seu formato de comunicação eletrônica por meio do site
www.jovemnews.com, são iniciativas extraordinárias e desejo que esses instrumentos de manifestação do pensamento jovem de nosso município nunca deixem de existir, pela preciosidade destes espaços não somente para as classes estudantil e juvenil, mas para toda a comunidade,

Conheço o jovem Janival Oliveira, pessoa que merece todo o nosso respeito e nosso reconhecimento pelo seu esforço e intrepidez e, em seu nome, estendo minha louvação a todos os jovens que com ele trabalham de maneira abnegada para que o Jornal Força Jovem continue perenemente em nosso meio, num crescendo constante, pois este periódico é realmente de fundamental importância em múltiplos aspectos. Sou leitor do Força Jovem e gosto de lê-lo, por isso, nessa condição de leitor, me atrevo, no âmbito da respeitabilidade, manifestar algumas opiniões e sugerir certos desvelos que considero viáveis para o Força Jovem, os quais se seguem em itens:

1º - pela importância do jornal, como já disse anteriormente, fazer revisões mais cuidadosas no que diz respeito ao português e a prática redacional;

Obs. – Todos os órgãos de comunicação cometem erros, porém quando excedem, o leitor passa a depreciá-los ou até mesmo chacoteá-los.

2º - aperfeiçoar nos estudos semânticos e de gêneros literários, evitando quebra de raciocínio, ou seja, procurar deixar mais claro os objetivos e as naturezas das matérias;

3º - buscar a essencialidade dos fatos quando se trata de manchetes ou reportagens, não veiculando informações incorretas e nem fazendo citações de pessoas ou grupos de pessoas sem o devido respaldo para essas nominações, uma vez que tudo que se publica pode se tornar uma valiosa fonte de pesquisa para gerações futuras e não é justo lográ-las com inverdades ou qualidade ruim das informações que produzimos no presente.


Para explicitar melhor os teores dos 3 (três) itens acima expostos, tomemos por análise a matéria/reportagem intitulada “DOUGLAS O PATRIMÔNIO HISTÓRICA DE ALTA FLORESTA PODE SER PALCO DE UMA TRAGÉDIA”, datada de 28/07/2009:

a) o título já começa com graves erros, principalmente de concordância de gênero em “Patrimônio Histórica”, sendo que “Patrimônio” é um substantivo masculino e não feminino. Erros de português de todos os tipos são encontrados do começo ao fim da matéria;

b) a informação de que a aeronave tem 27 (vinte e sete) janelas está errada, pois são 8 (oito) janelas de um lado e 7 (sete) janelas do outro, totalizando 15 (quinze) janelas e não 27 (vinte e sete) como está na matéria;

c) embora os recursos que foram investidos na reforma do Douglas DC-3 foram, em grande parte, procedentes do Ministério Público, em sua totalidade outras instituições também entraram com recursos, dentre elas a valiosíssima participação da Prefeitura Municipal. Tanto o Ministério Público como a Prefeitura Municipal, se dedicaram intensivamente nesse projeto de reforma da aeronave, inclusive com recursos humanos e acompanhamento desde o início dessa empreitada. Dr. Marcelo Caetano Vacchiano (pelo Ministério Público) e Sr. Gércio Luiz França (pela Prefeitura Municipal) foram baluartes nessa operação e, é claro, a Prefeita Maria Izaura Dias Alfonso;

d) informa a matéria que foram colocadas poltronas no interior do avião, o que não é verdade. A segunda parte do projeto de reforma para que o Douglas DC-3 fique pronto para o conforto das visitações internas e uso da aeronave como um dos locais de dados e informações históricas, será brevemente iniciada, inclusive, devido ao estado precário em que se encontram as poltronas originais, é bem provável que somente algumas sejam reformadas e colocadas no avião, para que as pessoas conheçam como elas eram originalmente.

Lendo essa matéria com atenção, deixando de lado o português, o leitor não sabe pra onde ir na lógica de pensamento, pois não dá pra entender se o autor da matéria quer fazer uma reportagem/denúncia; se quer que o avião saia dali; se pretende que se acabe com as corujas; se quer apenas falar do perigo que as pessoas estão correndo pela presença e agressividade das aves de rapina que ali se encontram; se quer alertar as pessoas para não se aproximarem do ninho das corujas ou não visitarem o avião deixando, assim, os bichinhos em paz; se quer simplesmente comentar sobre o susto da equipe do jornal quando esteve tirando fotos; ou se, como os oráculos gregos, está prevendo uma nada auspiciosa fatalidade. Observa-se que a matéria é uma miscelânea de palavras com alguns dados sobre a coruja-buraqueira, assim popularmente chamada a Speotyto Cunicularia, informações provavelmente buscadas pelo Google. A matéria ou artigo ou reportagem (é preciso definir isso) não têm propriedades de denúncia contra o Patrimônio Histórico-Cultural e nem tampouco sinaliza alguma solução para o caso, a não ser colocar pesadamente a palavra “TRAGÉDIA” como quem, se acaso isso um dia ocorrer, poder desabafar triunfantemente com o termo “eu avisei!”.

Ora, Patrimônio Histórico-Cultural pertence a toda população que, por mais que tenham pessoas, órgãos públicos ou entidades para cuidarem desse patrimônio, ela (a população) é a principal guardiã dos bens culturais que lhe pertencem. Fica aqui a sugestão de, juntos, estudarmos a melhor maneira de solucionarmos o problema para o qual o Jornal Força Jovem alertou e se isentou, ao mesmo tempo, de quaisquer responsabilidades sobre um patrimônio que é de todos. Ao contrário, termina a matéria conclamando colegas de outros meios de comunicação para se alinharem ao pensamento deles e terem a mesma atitude com relação ao bem cultural em questão.

Por falar em “Tragédia”, vamos à vida íntima deste vocábulo: “TRAGÉDIA – do latim tragoedia, por sua vez vindo do grego tragoidia, ambos significando tragédia, obra teatral em verso, originada do ditirambo. A primeira tragédia foi apresentada nos Jogos Olímpicos de 535 a.C.. Originalmente, a palavra deriva do grego tragos, o macho da cabra, isto porque os coristas contavam disfarçados de sátiros, como eram denominados esses animais na Grécia antiga. O gênero alcançou seu apogeu com Ésquilo, Sófocles e Eurípedes, o primeiro dos quais teria tido morte lendária. Fugindo do perímetro urbano, passeava pelos campos, para evitar a predição de um oráculo, segundo o qual o dramaturgo morreria quando uma casa lhe caísse na cabeça. Uma águia deixou cair uma tartaruga sobre sua cabeça, matando-o”.

Portanto, mesmo com informações equivocadas e entendimento distorcido sobre Patrimônio Histórico-Cultural (atualmente Alta Floresta tem uma excelente Lei Municipal que dispõe sobre os bens culturais materiais e imateriais que são ou possam vir a serem considerados como patrimônio desta natureza pertencente ao povo), vamos torcer para que nenhuma coruja provoque uma tragédia como está na predição da referida matéria, e que todos contribuam para encontrarmos uma solução que fique boa para o Douglas DC-3 e para as aves da espécie Cunicularia, segundo o Força Jovem, ou seja, corujas-buraqueiras, da ordem dos Strigiformes, gênero Speotyto, recentemente levando a nomenclatura científica de Athene Cunicularia.


ah, pra quem não sabe o que é o AVIÃO DOUGLAS DC-3, algumas fotos:
(clique nas fotos para ver em melhor resolução)

foto panorâmica, durante sua restauração.


transporte do avião para a Praça da Cultura (onde encontra-se atualmente)


interior do avião - comparação antes/depois


comparação do avião antes/depois

3 comentários:

Aninha disse...

caaaraaacaaaa Markosss

muito bem corrigido pelo seu Agostinho...

e que classe kkkk

bjs xau

Anônimo disse...

IRÔNICO SIM CÂNDIDO NÃO



Janival Oliveira



Para explicitar melhor os teores dos 3(três) itens, tomemos por análise a matéria/reportagem ao lado “O PATRIMÔNIO Histórico-cultural.”



Ora, Patrimônio Histórico-Cultural: mas aí no lado esta de outra maneira! Hum, a sim é facil entender é pegadinha. Sei, mas falta dois itens ainda.

A informação de que a aeronave tem 27 (vinte e sete) janelas está errada, pois são 8 (oito) janelas de um lado e 7 (sete) janelas do outro, totalizando 15 (quinze) janelas e não 27 (vinte e sete) como está na matéria; - Uai , da onde saíram as outras? Você não sabe? Esta no site da Prefeitura Municipal de Alta Floresta. Aonde é uma valiosa fonte de pesquisa para gerações futuras e não é justo lográ-las com inverdades ou qualidade ruim das informações que produzimos no presente.



Embora os recursos que foram investidos na reforma do Douglas DC-3 foram, em grande parte, procedentes do Ministério Público, em sua totalidade outras instituições também entraram com recursos, dentre elas a valiosíssima participação da Prefeitura Municipal. Tanto o Ministério Público como a Prefeitura Municipal, se dedicaram intensivamente nesse projeto de reforma da aeronave, inclusive com recursos humanos e acompanhamento desde o início dessa empreitada. Dr. Marcelo Caetano Vacchiano (pelo Ministério Público) e Sr. Gércio Luiz França (pela Prefeitura Municipal) foram baluartes nessa operação e, é claro, a Prefeita Maria Izaura Dias Alfonso.

Informa a matéria, que foram colocadas poltronas no interior do avião, o que não é verdade.

– PARA TUDO!!! Pó meu você falo três itens (3), (III) e já foram. Veja em ordem alfabética A,B.C, então. Vai lá termina .



A segunda parte do projeto de reforma para que o Douglas DC-3 fique pronto para o conforto das visitações internas e uso da aeronave como um dos locais de dados e informações históricas, será brevemente iniciada, inclusive, devido ao estado precário em que se encontram as poltronas originais, é bem provável que somente algumas sejam reformadas e colocadas no avião, para que as pessoas conheçam como elas eram originalmente.

Bom deixa o Douglas de lado e vamos para as aves de rapina.



- Então vamos fala logo estou com pressa...

Somos a favor da natureza, só queremos apenas falar do perigo que as pessoas estão correndo pela presença e agressividade das aves de rapina que ali se encontram; quero alertar as pessoas para não se aproximarem do ninho das corujas; elas podem se sentir a me assadas e atacar. Este ataque pode ate ser fatal. Se isto acontecer seria um acontecimento calamitoso, funesto, sinistro, desastroso, trágico ou uma tragédia.

VER + http://www.altafloresta.mt.gov.br/noticias/shownoticia/?act=142

http://www.cdlaf.com.br/index.php?pg=noticias&cod=1621&tipo=1

Fonte: Janival Oliveira/www.jovemnews.com

Anônimo disse...

muito bem corrigido pelo seu Agostinho...

e que classe ...

rsrrsr
kkkk